Historial da A.H.B.V. Monção

Existem comprovativos históricos de que a autarquia monçanense, embora não tendo criado um corpo de bombeiros, adquiriu em 1879 material contra incêndios para corresponder à necessidade de salvaguarda de pessoas e bens do município. No entanto, as constantes demoras nas deslocações para os locais dos sinistros e a utilização incorreta, por ocasião dos incêndios, do material disponível, levou a comunidade local a tomar a iniciativa de organizar um corpo de bombeiros devidamente enquadrados e comandados. A formação do pessoal adstrito aos serviços de incêndio era ministrada no quartel, consistindo em exercícios práticos com o respetivo material.

Após várias angariações de fundos, os senhores Abílio Dantas Sousa Aragão e Deocleciano Rodrigues Torres (sócios fundadores) fundaram, a 19 de Março de 1900, na capela do Loreto em Monção, a Associação Humanitária Bombeiros Voluntários de Monção.

Inicialmente preocupados com os incêndios, os Bombeiros Voluntários de Monção, confrontados com diversos tipos de calamidades, depressa se aperceberam que poderiam alargar a sua ação à área da saúde e do socorro a náufragos. E, com o passar dos anos, as exigências por parte da comunidade foram crescendo e os serviços aumentando, havendo por isso uma grande preocupação por parte dos elementos do corpo dos Bombeiros de Monção em adquirir material técnico eficaz.

Em 1902, os Bombeiros Voluntários de Monção adquiriram diverso material, como machados, capacetes, espias, fardas. Adquiriram também, em 7 de Dezembro desse mesmo ano, pela quantia de cento e quarenta e cinco reis, com prestações mensais, um carro para transportar escadas de lanços e o restante material de incêndio.

Para se estabilizar a nível financeiro, a Associação fez várias campanhas de angariações de fundos, como o aluguer de escadas à população pela quantia de trezentos reis. Criou também um grupo cénico (teatro) e realizou bailes carnavalescos. Não obstante todas as campanhas de angariações de fundos realizadas, que se revelaram insuficientes para a estabilização da corporação de bombeiros, viveu-se até 1910 um clima de instabilidade que leva os dirigentes da corporação a fazer peditórios aos patrícios monçanenses, tendo como finalidade a compra de material contra incêndios.

Com a ajuda dos fundos angariados, a Associação fez a remodelação do quartel e, em 1916, mandou fazer uma bandeira nova na cordoaria nacional, em Lisboa, pela quantia de treze escudos e quinze centavos e comprou a bomba braçal.

Até aos nossos dias, a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Monção foi angariando outros fundos e adquirindo novo material e novas viaturas.

Fundadores da A.H.B.V Monção


abilio dantas

Abílio Dantas Sousa Aragão

Sócio fundador

deocleciano

Deocleciano Rodrigues Torres

Sócio fundador